Netsaber » Biografias

Erasmo de Roterdã

(Humanista e filósofo holandês)
26/11/1466, Roterdã, Holanda 12/07/1536, Basiléia, Suíça


Conhecido como Erasmo de Roterdã (ou Rotterdam), Desidério Erasmo foi, em seu tempo, um dos maiores críticos do dogma católico romano e da imoralidade do clero. Mas não deixou de atacar também o movimento protestante de Lutero. Professor de Língua Grega na Universidade de Oxford, na Inglaterra, ele percorreu as principais universidades da Europa.

Pouco se sabe ao certo sobre sua família. Há informações de que era filho ilegítimo de um padre chamado Gerard com uma mulher conhecida apenas como Margareth, ambos vítimas da peste de 1483.
Erasmo teve a melhor educação possível em seu tempo, em mosteiros religiosos. Chegou a ser admitido como monge aos 25 anos, mas nunca exerceu o sacerdócio.

Estudou na Universidade de Paris (Sorbonne), que começava a receber a influência da cultura clássica renascentista vinda das cidades-Estado italianas, onde esteve entre 1506 e 1509.

Sua principal obra, o Elogio da loucura (1509), defendia a tolerância e a liberdade de pensamento e denunciava as ações da Igreja. Seus livros em latim, grego, holandês, inglês, francês e italiano atraíam leitores por toda a Europa. Perseguido por suas idéias, o pensador procurou refúgio na Basiléia suíça, onde estava rodeado de amigos e pôde expressar-se livremente, associado ao grande editor Froben.

Em 1516, Erasmo publicou uma nova edição e tradução para o latim do Novo Testamento, feita a partir dos manuscritos originais. Esse trabalho, editado com anotações do tradutor, serviu de base para os estudos da Bíblia produzidos pelos protestantes durante a Reforma. O Novum Instrumentum omne, diligenter ab Erasmo Rot. Recognitum et Emendatum foi dedicado ao papa Leão X. Na segunda edição, o termo Testamentum foi usado em vez de Instrumentum. O termo ficou mais familiar porque foi usado pelos tradutores da versão da Bíblia do rei James, da Inglaterra.

Erasmo foi chamado a tomar partido entre Martinho Lutero e a Igreja Católica, mas se recusou. Ele tinha uma simpatia pelos pontos principais da crítica luterana à Igreja, mas não quis se comprometer e disse que não era um inimigo do clero. Como resultado, Erasmo viu-se em conflito com ambas as grandes facções religiosas.

Durante a sua vida, as autoridades da Igreja católica nunca o chamaram a justificar as suas opiniões. Após a sua morte, porém, a Igreja católica romana colocou seus escritos no Index librorum prohibitorum, uma lista de livros proibidos pela Igreja.

Biografias Relacionadas


- Huldrich Zwingli

- Martinho Lutero

- Martinho Lutero

- Miles Coverdale

- Damião De Góis