Netsaber » Biografias

Antonio Gonçalves Dias

(Poeta brasileiro)
10/08/1823, Caxias (MA) 03/11/1864, naufrágio do navio Ville de Boulogne, Atins (MA)


Aluno de Direito em Coimbra a partir de 1840, Gonçalves Dias foi colega dos principais escritores da primeira fase do Romantismo português. Inspirado por essa convivência e a saudade da pátria, escreveu a "Canção do Exílio" - poema que se tornou tão célebre que alguns de seus versos são citados no Hino nacional brasileiro. Orgulhoso do fato de ser descendente de brancos, índios e negros, seu pai era o comerciante português João Manuel Gonçalves Dias, e a mãe, Vicência Ferreira, mestiça.

De volta ao Brasil, viveu no Rio de Janeiro entre 1846 e 1854. Em 1849, foi nomeado professor de Latim e História do Colégio Pedro II, e fundou a revista literária "Guanabara" junto com Araújo Porto Alegre e Joaquim Manuel de Macedo.

Em 1851, a mãe de Ana Amélia Ferreira não concordou com a paixão do mestiço Gonçalves Dias por sua filha. Várias de seus poemas, inclusive "Ainda uma vez, Adeus" foram escritos para Ana Amélia. Frustrado, casou-se no Rio, em 1852, com Olímpia Carolina da Costa, de quem se separou em 1856.

Nomeado para a Secretaria dos Negócios Estrangeiros, viveu na Europa de 1854 a 1858, em missão oficial de estudos e pesquisa. Viajou para a Alemanha, onde o livreiro-editor Brockhaus editou os primeiros quatro cantos de "Os Timbiras", compostos dez anos antes. Voltou ao Brasil e, entre 1861 e 62, navegou pelos rios Madeira e Negro, com uma missão científica de exploração.

De 1863 a 1864, viajou pela Europa em busca de tratamento para sua saúde bastante abalada. Passou por estações de cura de várias cidades européias. Em 10 de setembro de 1864, embarcou para o Brasil no navio Ville de Boulogne, que naufragou nas costas do Maranhão. O poeta foi a única vítima, aos 41 anos de idade, porque não teve forças para sair do camarote.

Segundo a crítica, suas principais obras literárias foram escritas até 1854: os "Cantos", as "Sextilhas", a "Meditação", os trechos iniciais de "Os Timbiras", e a peça de teatro "Leonor de Mendonça". No período final, favorecido pelas comissões oficiais e as viagens à Europa, escreveu o "Dicionário da Língua Tupi", os relatórios científicos, as traduções do alemão, e o final da epopéia "Os Timbiras".

Sua obra pode ser enquadrada na temática americana do Romantismo, que procurou formar um sentimento nacionalista ao incorporar assuntos, povos e paisagens brasileiras na literatura nacional. Ao lado de José de Alencar, desenvolveu o indianismo.

Biografias Relacionadas


- Casimiro José Marques De Abreu

Poeta brasileiro de vida efêmera nascido na fazenda da Prata, no atual município de Silva Jardim, RJ, caracterizado por uma poesia nacionalista e exemplo puro do romantismo brasileiro, e patrono da Cadeira n. 6 da Academia Brasileira de Letras, por escolha...

- Joaquim Macedo

Joaquim Manuel de Macedo nasceu em Itaboraí (Estado do Rio) a 24 de junho de 1820 e morreu no Rio de Janeiro a 11 de abril de 1882. Formado em Medicina, pela Faculdade do Rio de Janeiro, foi também professor de História e Corografia, no Colégio Dom Pedro...

- Artur De Oliveira,

Artur de Oliveira, cronista, professor e poeta, nasceu em Porto Alegre, RS, em 11 de agosto de 1851, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 21 de agosto de 1882. É o patrono da Cadeira n. 3 da Academia Brasileira de Letras, por escolha de Filinto de Almeida....

- Artur De Oliveira

Artur de Oliveira, cronista, professor e poeta, nasceu em Porto Alegre, RS, em 11 de agosto de 1851, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 21 de agosto de 1882. É o patrono da Cadeira n. 3 da Academia Brasileira de Letras, por escolha de Filinto de Almeida....

- Domingos José Gonçalves De Magalhães, Visconde De Araguaia

Médico, político, diplomata, dramaturgo e escritor brasileiro nascido no Rio de Janeiro, RJ, um dos criadores do movimento romântico na literatura brasileira. Formado em medicina, exerceu funções públicas no Maranhão e no Rio Grande do Sul. Ingressou...